Ouro Preto, 26 de Abril de 2017
Voltar

Teatro no ônibus estreia em Ouro Preto (apresentações de 2 a 4 de dezembro)

Peça Entrepartidas levará espectadores de ônibus para circular, pela primeira vez, por ruas de Ouro Preto

Propor um diálogo afetivo entre a cidade e seus moradores é um dos intuitos da montagem realizada pelos brasilienses do Teatro do Concreto; a estreia acontece nesta sexta-feira (2 de dezembro) 

A partir da poética, do caos e da solidão dos centros urbanos, o grupo brasiliense Teatro do Concreto vai propor uma experiência única aos moradores de Ouro Preto: fazer uma viagem para dentro de si mesmo. A bordo de um ônibus, a peça Entrepartidas vai circular, pela primeira vez, por ruas da cidade histórica. As apresentações ocorrem de 2 a 4 de dezembro, de sexta a domingo, às 19 horas. O local de embarque e desembarque será na Praça Tiradentes. Os ingressos custam R$20 (inteira) e R$ 10 (meia) e deverão ser adquiridos pelo site www.sympla.com.br ou na Praça Tiradentes uma hora antes da partida. A primeira apresentação em Ouro Preto (2/12) é fechada para estudantes de teatro e convidados. O grupo também vai realizar um workshop na cidade. Acompanhe mais abaixo.

Dirigido por Francis Wilker, um dos fundadores do Teatro do Concreto, o espetáculo Entrepartidas leva os espectadores (restrito a 29 por sessão) a um percurso pelas cidade envolvendo espaços públicos e privados para falar de amor e abandono na sociedade contemporânea. A bordo do ônibus o público vive uma experiência inusitada: cenas que acontecem dentro e fora do veículo, nas ruas, praças, cenas vistas pela janela, e ainda algumas surpresas preparadas para cada apresentação. Durante todo o percurso, com duração de cerca de 2h30, 16 atores entram e saem das cenas, se misturando com os espectadores e quebrando a distância entre “palco” e plateia.

Com texto do dramaturgo Jonathan Andrade, os personagens tratam de encontros e desencontros, chegadas e partidas, vida e morte, o caos da cidade grande, o individualismo, a solidão e a transitoriedade das relações afetivas. O intuito é levar o espectador a uma viagem para dentro de si mesmo, sublinha Francis Wilker. “Entrepartidas foi criado vasculhando o nosso corpo-mapa em busca das inscrições do amor e do abandono na geografia única que cada um de nós é. A rua do primeiro beijo ou da queda inaugural de bicicleta. A casa onde iniciou ou terminou uma relação amorosa. A praça que brincou quando criança. Somos povoados de memórias das experiências que vivenciamos na cidade. Portanto, nesse contexto, a cidade é um operador poético, numa relação de diálogo com a sua gente, os seus espaços e as memórias que eles carregam”.

 

Sobre a temática central do espetáculo, “amor e abandono”, o diretor destaca que “o amor talvez seja o ponto mais ancestral de nossa espécie. Acho que a peça, num mundo que opera pela lógica do produto, da mercadoria, opta por tentar tocar naquilo que não se compra e não se vende... aquilo que está na relação com o outro, no encontro, no desejo, no impalpável”.

Muito elogiado em sua terra natal, Brasília, este ano o espetáculo já passou por Planaltina (DF), Anápolis (GO), Rio de Janeiro, Paraty e Belo Horizonte. Para Wilker, o diálogo criativo com outras cidades é sempre muito interessante, pois a cada novo espaço surgem também novos desafios e tudo se redimensiona. “O que nos move é o desejo de poder dialogar com outros públicos e artistas, isso alimenta as pesquisas do grupo. Conhecer novos olhares e pontos de vista sobre o trabalho é sempre uma riqueza que nos coloca em movimento”, destaca.

Entrepartidas existe desde 2010 e já venceu o Prêmio Sesc do Teatro Candango (2011) em quatro categorias, sendo melhor espetáculo, direção, dramaturgia e ator. No mesmo ano, o espetáculo foi tema de debate no Festival Internacional de Teatro de Cádiz, na Espanha, projetando o grupo Teatro do Concreto como uma referência no Distrito Federal e na região Centro-Oeste do Brasil.

 
Processo criativo
Entrepartidas é o sexto trabalho do Teatro do Concreto, que atua em atividade contínua há 12 anos. O espetáculo é resultado de dois anos de pesquisa do grupo sobre o tema amor e abandono na sociedade contemporânea. Ao longo do processo de criação foi investigado também as relações entre o teatro e outras linguagens artísticas como a intervenção urbana e a performance.
 

Troca de experiências com grupos locais

Com o intuito de compartilhar as práticas de montagem do espetáculo Entrepartidas, elenco e diretor ministram o encontro “Coletivos teatrais em diálogo”.

Como o próprio nome sugere “Coletivos teatrais em diálogo” é um espaço de intercâmbio entre coletivos teatrais com o objetivo de trocar práticas, reflexões e modos de fazer que envolvam os seguintes eixos de discussão: processo criativo, produção de conhecimento e gestão de grupos teatrais. O evento é gratuito e não exige inscrição prévia. Basta o grupo interessado chegar e participar. A data, horário e local do encontro será divulgado oportunamente.

Ao final do encontro será realizado o lançamento do livro “Do Concreto [inventário fotográfico] uma década de teatro”, do fotógrafo Thiago Sabino, que acompanha a trajetória do Teatro do Concreto desde sua criação. Organizado de forma cronológica, poderão ser vistas imagens de sete espetáculos concebidos pelo coletivo ao longo de dez anos de intenso trabalho e entrega às artes cênicas.

Sobre o grupo

O Teatro do Concreto, criado em 2003, é um grupo de Brasília que tem na essência do seu trabalho criativo a pesquisa colaborativa, a reflexão sobre questões emergentes do nosso tempo, bem como a investigação de novos modos de composição da cena. Ao longo de sua trajetória, o grupo acumula sete criações cênicas, três publicações e projetos de interação com a comunidade. Um caminho estruturado em processos que incluem pesquisas aprofundadas e o diálogo com diferentes artistas e áreas do conhecimento.

FICHA TÉCNICA

Elenco: Adilson Dias, Alonso Bento, Giselle Ziviank, Gleide Firmino, Jhony Gomantos, Lisbeth Rios, Maria Carolina Machado, Micheli Santini, Nei Cirqueira Dramaturgia: Jonathan Andrade Direção: Francis Wilker Assistente de Direção: Ivone Oliveira Assistente de Direção de Cena: Aline Seabra Participação especial: Tatiana Carvalhedo Músicos convidados: Diogo Vanelli e Francisco Minervino Elenco convidado:  Ouro Preto – Daniela Maia, Diego Abegão, Fredd Amorim, Karla Ribeiro, Thaiz Cantasini, Winny Rocha. Desenho de Luz: Diego Bresani e Higor Filipe Figurinos: Hugo Cabral, Júlia Gonzales e Eduardo Barón. Programação Visual: Felipe Sabatini

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

SERVIÇO

Entrepartidas – Ouro Preto

De 2* a 4 de dezembro de 2016
(*No dia 02/12 a sessão é fechada para estudantes de teatro e convidados)

De sexta a domingo às 19 horas
Embarque e desembarque: Praça Tiradentes
Capacidade de público por sessão: 29

Ingressos:

Deverão ser adquiridos pelo site www.sympla.com.br ou na Praça Tiradentes uma hora antes da partida
R$20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Classificação indicativa: 16 anos.

Mais informações:
https://www.facebook.com/TeatroDoConcreto

A realização do espetáculo está sendo possível graças ao patrocínio do FAC, Fundo de Apoio a Cultura do Distrito Federal e ao Prêmio Myriam Muniz da Funarte.

Publicidade