Ouro Preto, 26 de Abril de 2017
Voltar

MIMO FESTIVAL ABRE SUA PROGRAMAÇÃO 2016 GRATUITOS EM TIRADENTES E OURO PRETO

Artistas da Ucrânia, Colômbia e Brasil se apresentarão entre os dias 7 e 9 de outubro em tradicionais igrejas históricas e imponentes teatros das duas cidades mineiras

Consagrado como o maior festival gratuito de música instrumental do país, o MIMO Festival chega à 13ª edição anual em 2016, e leva parte do evento, em formato de Circuito, para as históricas cidades de Tiradentes e Ouro Preto, em Minas Gerais, entre os dias 7 e 9 de outubro. O Circuito MIMO é uma versão reduzida do Festival, mas com a mesma excelência, e este ano oferece seis concertos totalmente gratuitos, com artistas da Ucrânia, Colômbia e do Brasil.

Entre os destaques da programação, que reunirá diferentes estilos da música instrumental, está o quarteto ucraniano DakhaBrakha, maior expoente da música do Leste Europeu, que renova a tradição ucraniana de folk music, com pinceladas de melodias e ritmos de toda parte do mundo. Iryna, Nina, Olena e Marko apresentam, com exclusividade no MIMO, em Ouro Preto, o concerto que vem arrebatando plateias em sua turnê internacional pelos Estados Unidos, Canadá, Rússia, França, Inglaterra, Suécia, Alemanha, Áustria e Nova Zelândia.

Também se exibirá no Circuito – em Tiradentes e Ouro Preto – o harpista colombiano Edmar Castañeda, exímio instrumentista e compositor, que tirou a harpa da sombra para conferir-lhe um lugar de honra no jazz, revolucionando assim a visão do público e da crítica sobre o instrumento. Castañeda é requisitado por mestres do nível de Paquito D’Rivera, Marcus Miller, Wynton Marsalis, Gonzalo Rubalcaba, John Patitucci e Hamilton de Holanda.

Já entre as atrações brasileiras, está o duo de violões “Guanduo”, vencedor do Prêmio MIMO Instrumental, formado pelos músicos e compositores Eduardo Pinheiro e Juliano Camara. A dupla, também vencedora do XV Prêmio BDMG Instrumental, e finalista do prestigiado Festival Assad, apresentará no MIMO seu recém-lançado CD “Inventos”.

A Orquestra Sinfônica Cesgranrio, a mais jovem orquestra do Rio de Janeiro, volta a participar do MIMO, depois de aplaudidos concertos na Praça da Matriz, em Paraty, e na Igreja da Candelária (RJ), na edição anterior do festival, apresentando o “Concerto nº 2 para harmônica e orquestra”, de Radamés Gnattali (1906 – 1988). A orquestra terá a participação do virtuoso José Staneck como solista para interpretar o concerto composto, nos anos 1960, em homenagem ao gaitista mineiro Aluísio Rocha.

Enfatizando as características originais do festival, o Circuito MIMO terá como cenário belíssimas igrejas históricas e teatros. Em Tiradentes, os concertos acontecerão na Igreja Matriz de Santo Antônio, um dos mais importantes monumentos do Brasil Colonial, que impressiona pela grandiosidade e riqueza de seus seis altares; na Igreja do Rosário, uma das mais antigas da cidade, que era adorada pelos escravos no século XVIII, e tem o interior ricamente decorado em ouro; e no SESI - Centro Cultural Yves Alves, que foi construído em 1998 e é cercado por verdadeiras obras de arte do barroco brasileiro.

Já em Ouro Preto, as Igrejas do Carmo e de São Francisco de Assis, das mais belas do Brasil, serão especialmente iluminadas para receber os concertos. A Casa da Ópera de Vila Rica, hoje Teatro Municipal de Ouro Preto, o mais antigo teatro em funcionamento das Américas, também servirá de cenário para o Circuito.

Ouro Preto, que possui o mais importante acervo do barroco brasileiro e igrejas entre as mais belas e ricas do país, passou a fazer parte do MIMO em 2012 e conquistou expressivo sucesso de público em todas as suas edições. Já Tiradentes, berço do mártir da Inconfidência, que acolhe importantes eventos culturais e as tradicionais festas religiosas ao longo do ano, foi escolhida para incorporar-se ao MIMO em 2014 e desde então o festival entrou para o calendário oficial da cidade.

Depois de passar por Minas Gerais, o MIMO Festival acontece na bela Paraty, na costa fluminense, nos dias 14 a 16 de outubro, e continuará em novembro no Rio de Janeiro (11 a 13) e Olinda (PE, 18 a 20).


PROGRAMAÇÃO COMPLETA TIRADENTES E OURO PRETO

 

EDMAR CASTAÑEDA (Colômbia)

 

7 OUT (SEX)

Tiradentes · 19H30

Igreja Matriz de Santo Antônio

 

8 OUT (SÁB)

Ouro Preto · 19H

Igreja de São Francisco de Assis


Exímio instrumentista e compositor original, Edmar Castañeda tirou a harpa da sombra para conferir-lhe um lugar de honra no jazz, revolucionando assim a visão do público e da crítica sobre o instrumento. Quem não vê o colombiano tocando pode facilmente se enganar ao ouvi-lo, pois sua habilidade com as cordas faz com que extraia sons distintos em cada mão, como se fosse um grupo. O conjunto de acordes, o equilíbrio das figuras melódicas e a fusão de ritmos de seus improvisos fez com que o músico de 38 anos, radicado nos EUA, ganhasse notoriedade. Castañeda é requisitado por mestres do nível de Paquito D’Rivera, Marcus Miller, Wynton Marsalis, Gonzalo Rubalcaba, John Patitucci e Hamilton de Holanda.


ORQUESTRA SINFÔNICA CESGRANRIO (Brasil)

Eder Paolozzi, regência

José Staneck, gaita

 

7 OUT (SEX)

Tiradentes · 21H

Igreja Matriz de Santo Antônio

 

9 OUT (DOM)

Ouro Preto · 11H30

Casa da Ópera

Sob a regência de Eder Paolozzi, a mais jovem orquestra do Rio de Janeiro volta a participar do MIMO, depois de aplaudidos concertos na Praça da Matriz, em Paraty, e na Igreja da Candelária (RJ), na edição anterior do festival. Formada por 54 universitários de Música, a orquestra surgiu no ano passado e fez a sua estreia no palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Para as apresentações nas cidades históricas de Tiradentes e Ouro Preto, dentro do Circuito MIMO do festival, foi selecionado o “Concerto nº 2 para harmônica e orquestra”, de Radamés Gnattali (1906 – 1988), que soube como poucos escrever para este instrumento. A orquestra terá a participação do virtuoso José Staneck como solista para interpretar o concerto composto, nos anos 1960, em homenagem ao gaitista mineiro Aluísio Rocha.
 

VINÍCIUS MUNIZ (SP) – ARTISTA PRÊMIO MIMO INSTRUMENTAL (Brasil)
 

8 OUT (SÁB)

Tiradentes · 18H

Igreja do Rosário


O violeiro, compositor e pesquisador paulistano lançou-se ao desafio de construir um repertório de certa forma inédito, adaptando obras de Bach à viola caipira. Para tal, Vinicius Muniz tomou como ponto de partida o conjunto de sonatas e partitas para violinos solo de Bach, “traduzindo-as” para seu instrumento e somando-as às sonoridades do interior do Brasil. A busca pelo equilíbrio desses dois universos foi reproduzida no novo álbum do instrumentista, que será apresentado com exclusividade ao público do MIMO.


FORTUNA (Brasil)


8 OUT (SÁB)

Tiradentes · 20H

SESI - Centro Cultural Yves Alves

 

Reconhecida na cena musical brasileira por pesquisar e retomar sonoridades, melodias e tradições musicais judaicas, a cantora, compositora e atriz, Fortuna assina  cinco das treze músicas do concerto “Novos mares”, trabalho que apresentará no Circuito MIMO Tiradentes. O repertório traça o percurso dos judeus orientais que saíram do Oriente Médio através de temas em árabe, hebraico e francês - passando pela Espanha e Portugal, até chegarem ao Brasil.  A música é vista por Fortuna como fio condutor essencial ao para alcançar um diálogo intercultural entre nações e religiões diferentes.


GUANDUO (MG) – ARTISTA PRÊMIO MIMO INSTRUMENTAL (Brasil)


8 OUT (SÁB)

Ouro Preto · 16H

Casa da Ópera
 

O duo de violões formado pelos instrumentistas e compositores Eduardo Pinheiro e Juliano Camara vem ganhando reconhecimento pela primorosa execução de um repertório de alta qualidade e o arrojo de seus arranjos. Vencedor do XV Prêmio BDMG Instrumental, foi finalista do prestigiado Festival Assad. O universo de autores e gêneros que os inspira é vasto, eles investem na diversidade e, entre suas principais referências, estão Guinga, Milton Nascimento e Sérgio Assad. O duo apresentará no MIMO o recém-lançado CD “Inventos”.
 

DAKHABRAKHA (Ucrânia)

8 OUT (SÁB)

Ouro Preto · 21H30

Casa da Ópera


Maior expoente da nova música do Leste Europeu, o quarteto criado por alunos do vanguardista Teatro de Arte Contemporânea de Kiev renova a tradição ucraniana, com pinceladas de melodias e ritmos de toda parte do mundo. A mistura vigorosa causa grande impacto mais pelas atuações, que soam como inteira novidade, do que pelo significado do que cantam. O próprio nome do grupo representa o “dar e receber” da explosiva energia trocada entre eles e o público e também à moderna roupagem com que revestem a folk music de seus antepassados. Depois de 12 anos de experimentação e em plena turnê internacional, Iryna, Nina, Olena e Marko apresentam, com exclusividade no MIMO Festival, o concerto que vem arrebatando plateias nos EUA, Canadá, Rússia, França, Inglaterra, Suécia, Alemanha, Áustria e Nova Zelândia.

 

Visite o site: http://mimofestival.com

Publicidade